As primeiras ferramentas de testes de software surgiram por volta de 1980 e eram focadas em testes funcionais. Eram também baseadas em atividades que eram extensão de debuging do software.

Após essas ferramentas ganharem popularidade, surgiram as ferramentas de gerenciamento de testes que tinham como propósito organizar e manter dados e comandos de testes, organizarem o resultado da execução dos testes, e apresentar relatórios de testes.

Por volta de 1990 os fornecedores passaram a integrar numa suite única ferramentas para testes funcionais e de gerenciamento de testes. Já em 1995 surgiram as primeiras ferramentas para automação de testes de performance que inicialmente eram focadas em medições básicas para algumas plataformas. Posteriormente foram abrangendo diversas plataformas com medições mais complexas de performance.

Em 2000 os fornecedores passaram a oferecer uma suite mais abrangente contemplando funcionalidades de gerenciamento, testes funcionais e performance na mesma suite. Entretanto havia uma limitação dos fornecedores com capacidade para prover esse tipo de ferramenta, e os usuários descobriram limitações nessas ferramentas e passaram a adquirir outras ferramentas para suprir essas limitações. Os usuários descobriram então que não poderiam reutilizar o investimento feito na ferramenta atual, ao migrar para a nova ferramenta.

Os fornecedores então ficaram com um dilema: fornecer caminhos de reutilização da sua ferramenta para outra e permitir que os clientes facilmente abandonassem o uso do seu produto, ou não fornecer esses caminhos e correr o risco de perder as vendas iniciais por desconfiança dos usuários, de estarem presos a uma solução proprietária?

Entre 2002 e 2003 os fornecedores solucionaram esse dilema: todos os fornecedores adotariam uma arquitetura e componentes padrões. Dessa forma seria possível garantir algum tipo de migração entre suites diferentes, e cada fornecedor poderia manter os seus diferenciais através das funcionalidades únicas de seus produtos

Eclipse/Hyades foi a arquitetura e componentes padrões escolhida por empresas como a IBM, Intel e Compuware entre outras. Com isso espera-se reduzir o número de ferramentas para algumas dezenas em vez de centenas.

Consulte o site http://www.eclipse.org/tptp/ para ter mais informações sobre o projeto Eclipse/Hyades