FL-2.3.3 (K2) Comparar as finalidades do teste de confirmação e teste de regressão.

Tópico - Progresso:

O teste de regressão é um reteste de um programa previamente testado, posterior a uma modificação, para garantir que falhas não tenham sido introduzidas descobertas decorrentes das alterações feitas.


 

Os testes de regressão podem ser realizados em todos os níveis de teste , e aplica-se para os testes funcionais , não funcionais e estruturais. Os casos de testes usados ​​em testes de regressão são executados muitas vezes e, devem ser bem documentados e reutilizáveis. Eles são fortes candidatos para automação de teste.

 

O quão extensivo o teste de regressão deve ser?

 

 


No TESTE DE REGRESSÃO COMPLETO além reexecutar todos os testes que detectaram falhas e dos programas que foram alterados ou corrigidos TODOS OS CASOS DE TESTES EXISTENTES DEVEM SER REPETIDOS.


 

Na prática, um teste de regressão completo é demorado e custoso.

Portanto, precisamos de critérios que permitam escolher quais casos de teste antigos podem ser omitidos sem perder muita informação. Para testes, isso significa equilibrar riscos e custos.

A melhor maneira de determinar esse equilíbrio é fazer uma análise do impacto das mudanças, tentando determinar onde podem ocorrer efeitos colaterais.

 

As seguintes estratégias são muitas vezes utilizados para decidir sobre isso:

 

 

 

As regras listadas aqui referem-se ao teste do sistema.

 

Teste de Confirmação

 

Depois que um defeito é corrigido, o software pode ser testado com todos os casos de teste que falharam devido ao defeito do software. A finalidade de um teste de confirmação é confirmar se o defeito original foi corrigido com sucesso.

 

O teste de confirmação e o teste de regressão são realizados em todos os níveis de teste.